The New Classic Rap!

Depois de mais de um ano após o lançamento de “Work”, finalmente chega ao mercado da música “The New Classic”, o primeiro trabalho de ampla divulgação da rapper Iggy Azalea, uma das cantoras mais faladas nos últimos meses.

Iggy-Azalea-The-New-Classic-2014-1

“Work” foi o que obteve maior repercussão e deixou a rapper na boca de todos, logo em seguida a diva lançou “Bounce”, que não alcançou o mesmo sussesso de “Work” assim como “Change Your Life”. As duas músicas não foram sucesso absoluto, mas mostravam que Iggy veio para ficar. Recentemente em sua cartada final a cantora lançou Fancy, música que conta com a participação de Charli XCX, a música caiu no gosto do público e foi uma jogada certeira para voltar a deixá-la em evidência.

Para abrir o disco, “Walk the Line” possui uma ótima produção e sua letra serve de introdução ao disco, dando um pontapé para as faixas seguintes. “Don’t need Y’all” (minha preferida) possui uma batida mais dark e mais morna do que se ouve nos singles ou até em outras faixas do disco. Logo em seguida vem “100″, uma parceria de Iggy com Watch the Duck, a música nos faz lembrar muito aqueles hits do verão americano, que contagiam todo mundo, é uma faixa bem promissora e tem cara de single.

A parceria de Iggy e T.I. toma conta com uma batida mais pesada e nos faz relaxar e nos preparar para o que ainda está por vir. “Fancy” vem logo em seguida, com batidas dançantes e repetitivasCharli XCX teve uma participação certeira na faixa, com um refrão que fica na cabeça, de forte apelo popular e nos faz cantar “I’m so fancy, you already know!”.

O disco atinge seu ponto alto com “New Bitch” e “Work”, as músicas foram bem recebidas pelos fãs e fazem o equilíbrio perfeito para nos induzir a ouvir o resto de “The New Classic“. A primeira possui uma batida viciante e letra que insinua ostentação, enquanto a segunda nos trás um relato pessoal da cantora com uma realidade crua, com muita insinuação, uma batida perfeita e contagiante que nos faz relaxar e nos deixa curioso para o que ainda está por vir.

A faixa seguinte, intitulada “Impossible is Nothing” trás a mensagem de autoajuda,  é a música que nos diz pra manter o foco e a cabeça erguida. Em seguida vem “Goddess” com autoreconhecimento e louvação ao próprio trabalho.

Logo em seguida vem “Black Widow“, música escrita por Katy Perry,  com o refrão cantado por ninguém menos que Rita Ora. A pegada da música anima o CD e já sabemos que terá vídeo.  Além de lembrar muito “Dark Horse” da Katy.

“Lady Patra” e “Fuck Love” vem logo em seguida. A primeira é mais uma parceria de Iggy, dessa vez com Mavado, a produção fica ótima e o vocal masculino se encaixa muito bem à Iggy e nos remete a um estilo reggae com uma vibe bem agradável. “Fuck Love” é aquele tipo de música de american party, uma das faixas mais dançantes do álbum com uma batida acelerada.

“Bounce” encerra o disco, com sua batida dançante que nos faz até arriscar alguns passinhos. O disco não possui faixas perdidas, todas são muito bem agrupadas com a proposta principal. A versão deluxe ainda possui as faixas “Rolex” e “Just askin’”, duas faixas sem sal, que praticamente estão ali apenas para preencher.

Iggy Azalea Performs At Supperclub In London

Iggy é excelente nos raps, sem um vocabulário muito comum ou rimas pobres. A rapper insiste em relatos pessoais durante quase todo os disco, mostrando tudo o que passou até chegar onde está. O disco mostra uma boa prova de que Iggy  chegou para ficar e não vai se contentar com pouco, o ritmo e as letras do “The New Classic” são contagiantes.

Beijos e até a próxima dose de cafeína musical!
Cleiton Marcondes

Anúncios