Vinte e Dois Mil

Riqueza era a palavra que resumia os ‘anos 20’ americanos. E na música, a história não foi diferente. O que sonoramente se destacou nessa época, foi o incrível Jazz. Ele surgiu nos Estados Unidos, e tem suas raízes na cultura negra do país. É meio difícil classificá-lo por conta de tantos subgêneros que, com o tempo, acabou recebendo. Sabe-se que a maior influência sobre ele é o blues e que se destacou por ser um estilo musical bem do improviso, que aceita qualquer tipo de instrumento em sua composição, e claro, o envolvimento sonoro que o jazz tem, é de uma preciosidade espetacular. Entre os maiores nomes do gênero, em seus primórdios, foram Louis Armstrong, Tony Bennet e Frank Sinatra.

 Já atualmente, se destacam as mulheres, como Joss Stone, Norah Jones e, infelizmente, a já falecida Amy Winehouse.

Sendo tão importante no mundo da música como foi e é o jazz, nada mais justo que os artistas atuais se inspirarem no estilo para criar novas músicas e até novas sonoridades para o ritmo. Um dos maiores exemplos disso neste ano foi a trilha sonora do filme “O Grande Gatsby”. Assim como a trilha, o filme foi um dos mais bem feitos do ano, e qualquer semelhança com o ano 1920, não foi por acaso.

Imagem 1

A trilha reuniu grandes nomes da musica atual e de diferentes estilos musicais com um propósito pra lá de interessante: misturar o estilo atual de cada um com o jazz que tocava nas grandes festas da alta classe norte americana. Contando com participações muito, mas muito importantes, o álbum conseguiu fazer o combinado, e o resultado ficou maravilhoso.

O álbum conta com as vozes do rapper Jay-Z, os alternativos The XXFlorence And The Machine, Lana Del ReyGotye, o roqueiro Jack White, a divas Sia Emeli Sandré e os do mundo pop BeyoncéWill.i.am, Fergie e muito mais.

Entre esses, os destaques vão para as duas releituras de músicas. Beyoncé gravou novamente “Back To Black” da diva Amy Winehouse e Emeli Sandré regravando um sucesso de Beyoncé “Crazy In Love”, essas releituras estão tão boas que se não fosse pela letra, qualquer um acharia ser uma nova gravação das cantoras. Ganha destaque também “Over The Love” de Florence And The machine, “A little Party Never Killed Nobody” de Fergie, que misturando o jazz com o eletrônico está fazendo muito sucesso nas festas atuais, Jack Withe em “Love Is Blindness” e Lana Del Rey em “Young And Beautiful”.

Por fim deixo meu lindo recado: Quer entender um pouco dos anos 20 e ficar maravilhado com a beleza das festas da época? Assista “O Grande Gatsby”. Quer saber o que tocava nessas festas? Ouça a trilha do filme. Os anos 20 estão aqui, os 2000 também. Se perca nessa digníssima mistura!

Café e Pop na minha xícara, por favor. Três beijos.
Marcos Paulo

Anúncios